HOME | SOTMB | VY.COM.BR


pode dizer que é meme?
quinta-feira, 25 de abril de 2013 at 11:00
0 comments

Haha, vou roubar as pautas de listas da Carol porque: 1- tô sem pauta e 2- tenho sindrome de High Fidelity =P

Esse é das cenas mais choraveis, mas se for pensar em cenas... São muitas. Então vou pensar em filmes inteiros, porque acredite, sou capaz de passar 02h chorando no cinema, HAHA!

1. Cidade dos Anjos (City of Angels)

Nem chorei tanto no cinema. Ok, chorei a ponto de ficar vermelha. Não vi mais por mais de 10 anos. Resolvi comprar o dvd. Quase lavei a casa toda chorando na minha cama. É a menininha do pijama no começo, é a história deles, dos pacientes, de tudo. E o fim é horrível. E o Nicholas Cage não convence como galã, mas a história é muito boa. E triste.

2. O Quinteto (Party of Five)
 Como não chorar com a premissa de 5 irmãos que perdem os pais num acidente? Afe, choro até com a música feliz da abertura. Acha que Grey's Anatomy faz chorar? Nâo viu O Quinteto ainda.

3. Patch Adams
Como um filme do Robin Williams pode ser tão triste??? E aquela cena na ala das crianças com cancer? O cinema rindo um monte e eu lavando a minha cadeira. Outro filme horrivelmente triste. Falando de um médico que tenta fazer a vida dos pacientes mais feliz. Algo tá errado ai...

4. Dawson's Creek
Outro dramalhão da tv, não tão horrível, pelo menos não sempre. Mas o fim... O fim é muito triste! Chorei o episódio duplo todo! Mas amo rever qualquer episódio, mesmo aqueles que sei que vou chorar muito, porque o seriado fez parte da minha adolescência... E pra mim, é o melhor seriado adolescente que já existiu!

5.Amor além da vida (What dreams may come)
Acho que o Robin Williams me faz chorar... Hahaha! Esse foi um dos filmes que eu mais chorei no cinema na vida e se assistir esse filme hoje em dia, vou lavar o mundo chorando! A história é muito triste, começa com a morte dos dois filhos do casal, depois do pai (o Robin Williams) e ai a mãe se suicida. Os três que morrem de morte morrida vão pro céu, e a mãe, como se suicida, vai pro limbo. Ai o pai descobre e vai até o inferno pra busca-la. Meu pai ficou com vergonha de mim quando saimos do cinema, haha!

6.Uma prova de amor (My sister's keeper)
Confesso que não vi o filme todo... Ainda! Sempre passa na tv numas horas ingratas. Mas só de começar a ver, já saio com os olhos inchados. A história da menina que entra com um processo contra os pais para que ela não seja mais obrigada a doar partes do seu corpo pra irmã com cancer é bem dura. Mexe com amor, com família... Argh, dá vontade de chorar só de lembrar!

7.As aventuras de Pi (Life of Pi)
Desde que saiu o trailer lá fora fiquei com muita vontade de assistir, e se tornou um dos meus filmes favoritos desde então. Mas nossa, que história triste! Pi fica a deriva no mar com um tigre de bengala depois de perder a familia toda num acidente de navio. Pensa o quanto não chorei nessa parte? Mas o filme fala sobre superação também, dentre os filmes que eu citei acho que é o menos tenebroso, haha!

8.As vantagens de ser invisivel (Perks of being a wallflower)
Vi duas vezes no cinema e chorei muito nas duas. Na maior parte da história, a parte feliz, acho que me vi lá. Acho que a parte triste não tem nada a ver com a minha vida, mas chorei horrores mesmo assim, e acho que da segunda vez ainda mais que da primeira!

9.Harry Potter e as reliquias da morte Parte II (Harry Potter and the deathly hallows Part II)
Eu não chorei nos livros, mas a última parte do último filme da série serviu pra chorar tudo que não chorei em 10 anos acompanhando a saga! Quem viu e leu, sabe porque postei a foto do Snape! Grande Alan Rickman, consegiu me fazer lavar o cinema duas vezes, haha!

10.O clube da felicidade e da sorte (The joy luck club)
Ai, gente, sério, tenho vontade de chorar só de ver essa foto! Esse é o filme que mais me faz chorar até hoje, mais de 15 anos depois de eu ter visto pela primeira vez! Uma vez a Carol tava falando como sentimos mais penas de orientais porque também somos, e olha, se oriental já sabe fazer drama, imagina eu vendo esse filme? Ele conta a história de 4 chinesas imigrantes que se conhecem e fundam o clube. Cada uma tem uma história HORROROSA que as levam a migrar pros EUA e a formarem suas familias lá. E tem as histórias das suas filhas também. Nossa, deixa eu parar por aqui que lembrar de cada história tá me dando vontade de chorar, haha!

Marcadores: , ,

that would be me. bye!

#euvi: uma garrafa no mar de gaza
at 11:00
0 comments

 
Uma carta em uma garrafa jogada no mar de Gaza inicia uma correspondência entre uma garota israelita e um garoto palestino. Ambos cresceram em um lugar tomado pelo medo do terrosimo, onde familias enterram seus filhos, pais, mães, primos e tios em uma guerra civil escorada na diferença religiosa de povos de uma mesma região. Tal procura uma resposta ao ódio que vê nas ruas e em homens bombas, Naim tenta ter perspectivas de uma vida melhor em uma região onde eletricidade e mantimentos são escassos e limitados pelo "lado inimigo". Dois jovens que tetam entender o mundo e procuram uma solução para suas dores em desconhecidos de lados diferentes da mesma situação.
 Fui ver esse filme sem muitas expectativas e sai encantada e de coração partido. Talvez eu nunca vá entender que religião permite que matemos uns aos outros em seu nome, mas com certeza todos podemos entender o sofrimento da incerteza. Tal começa com uma visão idealista e ingenua da situação e Naim tem muita raiva de quem eles acha que faz seu povo sofrer injustamente. Aos poucos, e aos trancos e barrancos, eles começam a modificar sua visão e cada um passa por situações na vida que os levam a simpatizar com a situação um do outro, levando a entender que, como civis, eles sofrem igual, independente da religião.

Quem imagina que isso vira um filme romantico está bem enganado. Os dois jovens trocam impressões de vida, talvez coisas que nem imaginavam que se passasse "do lado de lá" da situação e no fim... Bem, achei o fim perfeito! E chorei horrores, claro (a ponto do meu olho ficar verde!!!), hehe...

É um filme bem balanceado, que não pdende pra nenhum dos lados da situação. Acho que ele só pende para o lado da paz, porque não dá pra ver o quanto cada povo sofre sem razão e não querer que tudo isso acabe.

Marcadores: , , ,

that would be me. bye!

#éshow: paralamas do sucesso 30 anos de carreira
terça-feira, 23 de abril de 2013 at 11:03
2 comments

Um dia estava conversando com a Nicas sobre como quase nunca ia a shows de artistas nacionais. Começou com um papo sobre CPM 22 (que estranhamente eu gosto muito - um dia eu elaboro melhor) e foi parar em como eu nunca tinha conseguido ir num show do Paralamas. Logo depois saiu o anúncio do show de comemoração de 30 anos de carreira deles e ela me mandou um e-mail avisando (essas miguxas são tão amor <3).

No início eu ia com ela e estava bem feliz com esse arranjo. Ai uma amiga do ex job ficou sabendo e se juntou a nós. Quase perto do show, TODOS os meus amigos da facul começaram a perguntar desse show e no final, pelo menos metade da nossa turma comprou ingresso. Se fosse uma coisa combinadinha, certeza que não dava certo, haha!

No dia do show, aproveitamos pra fazer uma gordice no América, pois só encontraria a Nicas, com meu ingresso, pouco antes do horário previsto pra começar. No fim, nem ficamos juntas =(. Entramos quase na hora, mas teve atraso no show e ficamos lá atrás esperando. O lugar estava bem cheio, apesar de eu achar que os ingresos não estavam esgotados.

Os únicos shows nacionais que eu tinha ido, fazia muito tempo e sempre era em rodeio (a roça já teve um dos maiores rodeios do país...) então não sabia o que esperar.

Já conhecia o Espaço das Américas, gosto de lá (principalmente porque é muito do lado de casa!) e esperava que os telões dessem conta da minha falta de altura. Infelizmente, por uma decisão infeliz de alguém, eles só ficaram de enfeite=(.

Atrás da banda tinha um telão lindo passando várias imagens, as vezes clipes e o nome das músicas com as datas em que foram lançadas. Achei bem legal, mas também fez a gente se sentir bem velhas, hahaha!

Pra mim os pontos altos da noite foram as músicas mais calmas e quando eles tocaram "Meu Erro". Check na listinha! Cantei e pulei a música toda, mas sem tanto vigor a ponto de passar mal depois, huahua! Achei o Hebert em excelente forma, a voz dele estava bem clara! Mas acho que ele estava muito emocionado, sempre que parava pra falar entre as músicas se atropelava no discurso, haha! Não tem problema! Amamos Paralamas anyway=).

A banda também foi fantástica e eu me arrependi de nunca ter ido num show antes. Espero conseguir ir em mais shows nacionais daqui pra frente, valem tanto a pena quanto os shows internacionais!


Marcadores: ,

that would be me. bye!

about the girl

Pode me chamar de Vy. Balzaquiana com cara de universitária. Turismóloga de formação. Rodinha não só nos pés, mas no coração também. Introvertida. Blogueira old school.

good reads

@ carol c. [rolê do amor]
@ nicas
@ nati n.
@ line
@ lari
@ lomogracinha
@ fernanda n.
@ paula b.
@ thais h.
@ tany
@ lia f. [verbo ler]
@ maria t.
@ simone pearl
@ anne r. [cat loves vinyl]
@ bruna
@ pamela
@ lecticia
@ gesiane
@ chris m.
@ meire k.
@ carlos & denise

the past



extras

the simple life