HOME | SOTMB | VY.COM.BR


#euli: baby proof, emily giffin
sexta-feira, 9 de junho de 2017 at 10:30
0 comments

Descobri Emily Giffin através da Fe, que é fã da autora. Na época, resolvi ler um livro dela depois de ter sido adaptado para o cinema. "O noivo da minha melhor amiga" é o filme do livro "Something borrowed". O título é uma alusão à tradição de usar "something old, something new, something borrowed, something blue" (algo antigo, algo novo, algo emprestado, algo azul). Em "Something borrowed acompanhamos a história da Rachel e seu envolvimento com o noivo da sua melhor amiga, a Darcy. A história continua em "Something blue", contada pela visão da Darcy (no Brasil o livro ganhou o título de "Presentes da vida" - e devo dizer já que as "traduções" dos títulos dela são péssimas). E no fim do livro tem uma "amostra grátis" de outro livro da Emily, o "Baby proof" (Uma prova de amor, que achei particularmente medonho).

"Baby proof" é sobre Claudia, uma mulher de uns 30 anos que não quer ter filhos. Ela conhece Ben em um encontro às escuras, e além de ele ser bonito e interessante, também compartilha da sua não vontade de ter filhos. Eles se casam e tem uma vida ótima... Até que, claro, Ben começa a duvidar da sua escolha de vida. Então acompanhamos a história pelo lado da Claudia, que tenta dissuadir o marido da ideia absurda de ter filhos nessa altura do jogo, sem sucesso, e a vida de uma mulher aos 30, bonita, bem sucedida, inteligente, independente e morando numa cidade grande (Nova York).


Eu gosto dos livros da Emily Giffin pois contam histórias de mulheres reais. Não são perfeitas, e não são parecidas (não são as Helenas de Manoel Carlos, por exemplo). A Rachel era um tipo bem mais "fofinho", a Darcy era meio "maluca" e a Claudia é um tipo bem racional. E todas tem defeitos. E todas estão na faixa dos 30 anos, uma coisa meio "Sex and the City", hehe.

Acho que de todos os personagens que eu já li até hoje, a Claudia é a que eu mais me identifiquei na vida. Desde o começo fiquei pensando que tudo o que ela pensava e fazia era exatamente o que eu faço e penso! Não só porque ela não quer ter filhos, mas suas motivações, sua racionalidade e sua maneira de ver a vida. Claudia definitivamente é uma INTJ, como eu!

Pelo título original, "Baby proof" (algo como "A prova de bebês"), eu não tinha muito como saber que rumo a história podia levar. Claro que não é um livro trágico e super denso, mas a verdade é que durante a leitura a história parece tão real que você começa a imaginar todos os cenários muito reais que o desfecho pode levar. Afinal, a vida real não tem nada de conto de fadas e finais felizes. Mas pelo título que ganhou por aqui, já dá pra imaginar (ainda bem que eu não sabia o título daqui antes de ler!).

A leitura não levou nem 48h direito, é bem fácil e leve, mesmo em inglês. Gosto que conta uma história real, não existe nada de extraordinário, nenhum acontecimento surreal e os personagens parecem muito reais, baseados em gente de verdade, sabe?

Não é meu livro favorito (ainda gosto mais de "Something borrowed", por exemplo), mas com certeza Claudia é a personagem que representa a minha vida. Tive vontade de chorar de emoção de me sentir tão bem representada! 

Marcadores: , ,

that would be me. bye!

about the girl

Pode me chamar de Vy. Balzaquiana com cara de universitária. Turismóloga de formação. Rodinha não só nos pés, mas no coração também. Introvertida. Blogueira old school.

good reads

@ carol c. [rolê do amor]
@ nicas
@ nati n.
@ line
@ lari
@ lomogracinha
@ fernanda n.
@ paula b.
@ thais h.
@ tany
@ lia f. [verbo ler]
@ maria t.
@ simone pearl
@ anne r. [cat loves vinyl]
@ bruna
@ pamela
@ lecticia
@ gesiane
@ chris m.
@ meire k.
@ carlos & denise

the past



extras

the simple life