HOME | SOTMB | VY.COM.BR


#gratidão
sexta-feira, 16 de junho de 2017 at 12:01
0 comments

Eu não sou uma pessoa de drama, de verdade. Eu sempre tento amenizar as situações porque eu não suporto gerar stress emocional. Mas nos últimos dias, quem me acompanhou mais de perto sobe que eu estava sofrendo muito. E em situações extremas a gente acaba transbordando. Quero agradecer as pessoas que me emprestaram os ouvidos para aguentar todas as minhas lamentações nos últimos dias. Vocês me ajudaram a manter minha sanidade.

Como ntrovertida eu tenho tendência de guardar tudo e analisar minusciosamente cada detalhe e cada sentimento, mas ultimamente tudo ficou demais pra mim e começou a me fazer mal fisiologicamente. Eu quando fico ansiosa e deprimida perco a vontade de comer, mas preciso me movimentar, o que acaba atacando meu sistema digestivo. A única parte boa é que pelo menos o exercício me faz dormir um pouco melhor, mas quando não dá pra fazer, nem dormir eu consigo.

Mas agora passou. Ou eu espero que comece a passar e que eu tenha minha paz mental de volta. É muito difícil pra alguém tão equilibrada quanto eu ter esses momentos de turbulência, porque eu não sei lidar.

Eu sei que preciso começar a trabalhar essa questão dos sentimentos. Acho que nunca vou deixar de ser INTJ, mas, teimosamente como uma, eu vou tentar, porque não faz bem mesmo passar por toda essa gastura.

Porém tudo fica um pouco melhor quando se tem amigos, né? Aqueles que nem sabem direito o que houve mas ainda assim tentaram me confortar e aqueles que tiveram que aguentar minha diarréia verbal, meu muito obrigada. A gente não é nada mesmo sem amigos <3


Marcadores: , , ,

that would be me. bye!

heartbreak warfare
segunda-feira, 12 de junho de 2017 at 10:07
1 comments

É incrível o que a mente humana é capaz de fazer a gente sentir.

Nunca fui fã dessa data, ainda mais porque ela é uma invenção comercial para alavancar vendas numa época fraca. Invenção, diga-se de passagem, do pai do nosso nada ilustre prefake.

Em geral eu tento evitar sequer pensar nisso.  Nos últimos anos tive várias distrações, tipo a Copa e o show dos Backstreet Boys, mas esse ano parece que eu não tinha mesmo como escapar.

Minha mãe sempre fala que o ser humano é um bicho muito estranho, que parece que não sabe viver sem problemas. Em nações desenvolvidas, com um sistema muito mais igualitário e justo, as pessoas não parecem muito mais felizes do que em lugares como o Brasil, cheio de corrupção, desigualdade e violência.

As vezes eu penso se não estou nesse mesmo barco. Cresci numa vida de privilégios que me proporcionam levar uma vida confortável hoje. Não é uma vida de luxo, mas é uma vida sem muitos problemas. Tenho um emprego que paga as contas, e agora estou em um lugar que gosto muito. Tenho uma família muito boa, que enfrenta alguns problemas, mas nenhum deles desesperador. Meus amigos são ótimos e estão de prontidão pro que der e vier. A única coisa que me falta pra completar o quadro da vida perfeita mesmo é um namorado.

E até um tempo atrás, isso não era exatamente um problema. Sendo INTJ eu consigo saber que eu sou sim mais feliz sozinha do que mal acompanhada, que eu preciso de grandes momentos de solidão para funcionar, então mudar esse status quo não é do meu interesse. E ainda assim, aqui eu me encontro querendo um namorado para romper essa calmaria.

O pior de tudo é que eu consigo racionalizar até essa vontade, mas eu não consigo me livrar dela. Eu sei que o que meu ego quer é algo que ele não precisa. Validação externa dificilmente é algo realmente valioso, e ainda assim é a única coisa que parece que pode apaziguar esse diabinho no meu ombro.

É fácil sofrer por amor. Dói, mas existe uma razão. Sofrer por um não amor é muito mais complicado, é algo que é difícil de explicar e que, literalmente, não tem razão.

Hoje não é um dia bom, e eu já sofri bastante antes e sei que vou sofrer ainda por um tempo, mas espero que vá passar. Espero que seja uma fase. Se tem algo que aprendi na vida, é que nem adianta não sofrer quando o coração dói. Deixa acontecer, que uma hora passa, e talvez passe mais rápido quando a gente se permite sofrer. Não é bom, mas é o que tem pra hoje.

Marcadores: , ,

that would be me. bye!

about the girl

Pode me chamar de Vy. Balzaquiana com cara de universitária. Turismóloga de formação. Rodinha não só nos pés, mas no coração também. Introvertida. Blogueira old school.

good reads

@ carol c. [rolê do amor]
@ nicas
@ nati n.
@ line
@ lari
@ lomogracinha
@ fernanda n.
@ paula b.
@ thais h.
@ tany
@ lia f. [verbo ler]
@ maria t.
@ simone pearl
@ anne r. [cat loves vinyl]
@ bruna
@ pamela
@ lecticia
@ gesiane
@ chris m.
@ meire k.
@ carlos & denise

the past



extras

the simple life