HOME | SOTMB | VY.COM.BR


Táticas para sobreviver a entrevistas de emprego
segunda-feira, 21 de novembro de 2016 at 10:30
3 comments

Minha primeira entrevista de emprego foi aos 17 anos. Não tenho a menor idéia de como tenha sido, mas não deve ter sido tão ruim, não a ponto de causar um impacto negativo na minha vida. Aos 18 tive meu primeiro emprego, e desde os 20 vivo nesse entra e sai da vida de proletariado. Passei por muitos processos seletivos, e mesmo naqueles em que não fiquei com a vaga, sei que fui bem.

Eu sempre digo que me saio bem em entrevistas, mas que odeio dinâmicas de grupo. Acho essa coisa de dinâmica uma grande balela de rh, isso só serve pra enaltecer 1 tipo de perfil, e faz uma avaliação super rasa dos candidatos. Das poucas vezes que participei de dinâmicas, foi porque disseram que era outra coisa  (ou seja, fui ludibriada) e nem fiz questão de me esforçar pra sair bem.

Por causa do post sobre a minha mudança de volta para SP, me pediram dicas de como fazer uma boa entrevista e fiquei pensando exatamente o que eu fazia pra me sair tão bem. Não sei se são dicas, mas uso algumas táticas para enfrentar o nervosismo que pode bater na hora.

PREPARAÇÃO:

Quando eu recebo um convite de entrevista, começo a me preparar mentalmente. Uma das primeiras coisas que faço é me informar sobre a empresa. Mesmo que eu não tenha muita referência sobre a área de atuação  (o nicho, a forma de fazer negócio, etc) é bom ter uma idéia do que se trata. E passa uma boa impressão quando você demonstrar que fez uma pequena pesquisa antes de chegar na frente do entrevistador. Mostra que você não está caindo de para quedas no lugar e que você é interessada.
Também procuro no armário uma roupa que pareça adequada para a situação. Se vestir bem não é colocar tudo de mais caro ou mais bonito, mas sim se vestir de acordo com  situação. O turismo ainda tem um pé no mundo corporativo, então não tem como errar com uma roupa social do tipo vestido comportado e sapato de salto ou o combo básico calça social preta e camisa branca.

AUTO CONFIANÇA:

Sei que é aqui que a maioria das pessoas tem problema, somos nossos maiores críticos. Mas é preciso reconhecer o que fazemos de bom também. Temos que acreditar que sabemos fazer o nosso trabalho. Já fui demitida 2x e ainda assim acredito que fiz um bom trabalho por onde passei e aprendi com os erros e acertos. Faça uma retro avaliação e analise como se comportou nos seus empregos anteriores, o que poderia ter feito de diferente ou como deveria ter encarado as situações mais difíceis.

MOSTRE O SEU MELHOR:

A entrevista serve pra você expor o que você tem de melhor e o que pode oferecer de bom para a empresa. Lembre-se: a empresa não te conhece. Você tem a oportunidade de escrever a sua história da maneira que preferir!

SEJA HUMILDE:

Ser humilde não é se depreciar, mas ninguém sabe de tudo o tempo todo. Mostre que confia nas suas habilidades, mas que está sempre aberta a melhorar. Também saiba reconhecer seus erros. É comum nas entrevistas perguntarem sobre sua posição em momentos difíceis. Pense em problemas que teve que resolver, como encarou o desafio e o que aprendeu com aquilo. E não saia jogando a culpa nos outros.

SEJA EDUCADA E SIMPÁTICA:

Aqui é a parte difícil - pra mim. Sou muito introvertida e prefiro ficar debaixo de uma rocha a ter que interagir com o resto do mundo, mas se estou me colocando nessa situação, tenho que tirar o melhor proveito dela. Não se trata de ser puxa saco e amigona da galera, mas de engajar o interlocutor. Responda com confiança as dúvidas que possam haver do seu cv, conte histórias pertinentes, faça comentários que tenham a ver com o contexto,  se tiver dúvidas, pergunte, mostre interesse pela empresa. Sente direito na cadeira e evite cruzar os braços, tenha uma postura aberta. Eu tenho o instinto de sentar com os braços cruzados sempre, então já me policio quanto a isso nessas situações. Tento olhar sempre pra pessoa na minha frente, buscando contato. E não fico hesitando nas respostas. Tem que ser confiante, responder o que sabe, reconhecer quando não sabe mas estar aberta a aprender (meu conhecimento no turismo é específico em luxo, gosto muito, mas sei que existem certas limitações e reconheço. Mas agora que estou em uma empresa que não é ligada a isso estou aprendendo bastante e aberta a esse novo conhecimento).

Nào tenha medo de fazer pausas nas suas respostas! Não é o mesmo que hesitar, e sim demonstrar que você está pensando na melhor maneira de responder uma pergunta, que você não responde qualquer coisa só por responder, demonstra respeito pelas dúvidas e que você enfrenta as situações de modo tranquilo e com confiança nos seus conhecimentos ;) (essa é a dica clichê que adotei pra vida e me ajuda a manter o foco e a calma!)

Acho que essas são as coisas que me deixam tranquila para encarar entrevistas. É como um seminário na faculdade, se você fez um bom trabalho, a apresentação é para dizer que você entende do assunto. A parte difícil que era a pesquisa e escrita do trabalho já passou e agora é a hora de falar do que já se sabe!

Espero que essas táticas ajudem alguém. Se tiverem dúvidas, é só deixar um comentário ;)

Marcadores: , , ,

that would be me. bye!

about the girl

Pode me chamar de Vy. Balzaquiana com cara de universitária. Turismóloga de formação. Rodinha não só nos pés, mas no coração também. Introvertida. Blogueira old school.

good reads

@ carol c. [rolê do amor]
@ nicas
@ nati n.
@ line
@ lari
@ lomogracinha
@ fernanda n.
@ paula b.
@ thais h.
@ tany
@ lia f. [verbo ler]
@ maria t.
@ simone pearl
@ anne r. [cat loves vinyl]
@ bruna
@ pamela
@ lecticia
@ gesiane
@ chris m.
@ meire k.
@ carlos & denise

the past



extras

the simple life