home | sotmb | vy.com.br


segunda-feira, 29 de janeiro de 2018 at 10:30
0 comments
rotina de cuidados com a pele do rosto

Outro dia fui no meu dermato de confiaça, lá na roça, pra ver a questão das espinhas. Como ele me conhece desde muito tempo, é muito mais certeiro do que qualquer outro médico pode ser sobre minha pele. Falei que 2017 foi um ano difícil dermatologicamente falando e que o tratamento que estava fazendo me parecia muito extremo.

Depois de contar o que tinha acontecido e o diagnóstico do outro médico, ele foi categórico: meu problema não é espinha, meu problema é rosácea. Ele já tinha me alertado antes sobre isso, mas eu achava que tinha mais a ver com a sensibilidade da minha pele do que com outra coisa, e ele disse que é bem mais agressivo do que pareceu até então em mim.

Meu problema, caros, é o que se cosyyumava chamar de acne rosacea. Mas não é acne, é uma inflamação da pele que simplesmente . Olha que delicinha, né? Mas também não é pra entrar em pânico, porque tem paliativo. E ele me mandou parar com o Vitacid, que era muito agressivo, e me passo um ácido muito mais leve, o Azelan (ácido azeláico).

E realmente deu resultado, mesmo eu achando que a água lá da roça é muito dura pra minha pele! Entãominha rotina ficou mais ou menos assim:

Demaquilante:
Em dia que make mais pesada, sempre uso um óleo demaquilante. Os da vez estão sendo o Softymo Deep, que eu já usava, e o da Body Shop, de camomila (com a vinda da Bioré, sai mais em conta o deles do que o da Body Shop):


Sabonete de limpeza:
Não consigo conceber como alguém acha que só tirar a maquiagem basta. Double cleansing, pessoas! Isso tudo dá pra fazer no banho!

Meu dermato recomendou o Dermotivin Soft, que é bem fluído. É realmente bem leve para peles sensíveis, mas não deixa a pele ficar oleosa tão rápido. Eu alterno com o da Bioré que se vende aqui no Brasil agora, porque também acho que é bem suave pra minha pele. E quando estou em São Paulo vou usando o Natu Savon, que eu adoro porque é espesso e deixa uma sensação de super limpo!




Tratamento:
Por causa da rosácea, estou usando um ácido. Esse é indicado para rosácea e tem dado muito certo, principalmente porque não descama nem arde minha pele! Uso durante a semana, ou conforme me dá na telha (ops!).


Hidratante:
E pra hidratar a pele, continuo usando o maravilhoso Hidra Boost da Neutrogena, o melhor hidratante facial que existe!


Marcadores: , , , , , , , , , , , , ,

that would be me. bye!

terça-feira, 23 de janeiro de 2018 at 10:30
2 comments
#gordasafada: ikkousha, lamen direto do japão!

Lá em 2010 mais ou menos, quando o #gordasafada começou, a gente não tinha muitas opções de lámen em São Paulo. A medida em que crescemos, houve um boom de consciência sobre restaurantes de comidas quentes japonesas e cada vez mais um interesse crescente por lámens. Nos últimos 4 anos, mais ou menos, a gente tem visto a abertura de iúmeros estabelecimentos que se especializam nesse prato, de origem chinesa, que foi tão bem adotado e adaptado pelos japoneses.

Pois no começo do ano um amigo me contou que ia abrir esse novo lamen, diretamente do Japão! O que difere este de outros tantos é que a especialidade da casa é o tonkotsu, ou hakata lamen, um caldo com base de porco, mais enconrpado que os demais lámens, típicos do sul do Japão.

Eu já tinha comido esse tipo de lamen em Amsterdã, e é de esquentar o coração <3 Contando com esse tempo bem maluco de verão, com um dia bem estranho lá fora, combinou bem. Além da opção "normal", tem a opção "God fire", com pimenta. Dá pra escolher o nível de pimenta. A amiga do meu amigo que disse que curte apimentado pediu nível 3 (de 4) e disse que é bem forte, mas ainda dá pra sentir o sabor dos demais ingredientes.


Além de escolher o caldo, dá pra pedir extras (ovo, mais carne) e o ponto do macarrão (mole, normal, duro, mais duro).

Gostamos muito do lugar e saímos super satisfeitos. Nós 3 já estivemos no Japão, então dá pra dizer que esse lamen é bem fiel mesmo. É do lado do Kazu, tem uma entrada de madeira. O salão tem 2 andares, um com balcão e outro com mesas, mas não é muito grande, então é bom chegar cedo, porque tem fila sim.

Endereço: R. Thomaz Gonzaga, 45 - Loja E - Liberdade

Marcadores: , , , , ,

that would be me. bye!

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018 at 10:30
1 comments
#gordasafada: izakaya matsu

Voltei pra SP no começo do ano e fiz um tour gastronômico japones praticamente, haha!

O izakaya Matsu é um restaurante japonês estilo barzinho, no meio de Pinheiros. Sempre vi muita gente por lá *ahem*Anne*ahem* e queria muito conhecer. Fui com uns amigos da faculdade que não via há algum tempo.

Durante o dia o cardápio é fixo, então é bom ficar de olho no feice deles pra saber o que vai rolaro em cada dia da semana.

Por fora ele é bem típico, e por dentro ele é bem pequeno. Tem um balcãozão pro pessoal sentar e UMA mesa redonda no canto, na entrada.

No dia que fomos o cardápio era um frango com molho tipo shogayaki, acompanhado de conservas, arroz e uma sopinha.


Confesso que quando chegou, achei que era pouco, mas a medida que fomos comendo, fomos ficando bem cheios! A comida é simples, mas é muito correta, e o atendimento é muito ligeiro.

Em cima do balcão tem vários cartazes com os pratos servidos a noite, porções para dividir com os amigos enquanto se bebe. Dá água na boca, e eu ainda vou voltar lá pra experimentar!

Endereço: Av. Pedroso de Morais, 403 - Pinheiros

[Edição]: A Anne disse que tem mais mesa na parte de cima, que eu não vi!

Marcadores: , , ,

that would be me. bye!

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018 at 10:30
0 comments
#gordasafada: pf chang's

O PF Chang's abriu no Brasil já tem uns anos, e eu achava que só tinha o restaurante grandão da JK. Mas dia desses descobri que tem outro no shopping Higienópolis, quando a Carol e a Tany combinaram uma gordice por lá.


Eu não sei andar direito nesse shopping, desculpa, sou pobre, então eu achei onde era o restaurante por acaso, enquanto perguntava pra Carol onde era, no whatsapp, hahaha! Sei que fica no corredor da FOM, serve? E depois ainda descobrimos que tem 2 entradas, o que não faz muito sentido... É quase como se fossem 2 salões independentes, e depois vi que eles devem tratar meio assim mesmo. Na entrada "principal" o salão estava cheio, muitas famílias com crianças. Nós fomos colocadas no salão mais calmo (e frio), de frente para a cozinha.

A gente não sabia muito o que pedir, e ficou com medo de pedir muitos pratos, porque os restaurantes chineses são conhecidos por porções enormes. Começamos com uma porção bem gostosa de gyoza e pedimos logo uma porção de camarões e outra de frango. Enquanto esperávamos, víamos os pratos das outras mesas chegando, super bem servidos.


A gente chegou a conclusão de que não soube pedir. As porções se provaram suficientes, mas a gente achou que seria aquele desbunde de comida das outras mesas, né! Mas a comida estava bem gostosinha.

E já que a gente ficou com aquele vazio psicológico, resolvemos pedir uma sobremesinha. Um bolinho de chocolate, né...


Que era tipo o tamanho de um bolo inteiro, HAHAHA! Sério, quando esse bolo chegou, a gente só conseguia rir, de tão ridiculamente grande que é! Óbvio que não conseguimos terminar e virou marmita, mas estava muito gostoso, e esse sim vale bem a pena o preço que se paga!

Um dia voltaremos e pediremos os pratos certos, transbordando de tanta comida, haha! Mas esses pratos ai eram bem gostoso ;)

Endereço: Av. Higienópolis, 618 - Higienópolis

Marcadores: , ,

that would be me. bye!

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018 at 10:30
0 comments
explorando a liberdade

Nosso bairrinho oriental mais amado de São Paulo andou ganhando algumas adições interessantes e dia desses, antes do fim do ano, fui explorar.

O primeiro foi o Maruso, a nova "kombini" da cidade. Em uma das esquinas na praça da Liberdade, onde antes era uma loja enorme de pedrarias, está uma loja de 3 andares com muitos produtos comestíveis japoneses.


Achei uma versão mais arrumada da Marukai e da Casa Bueno, só com a parte dos processados/industrializados importados. Tem uma parte de bebidas e no último andar, utensílios bem japoneses. Quem estiver atrás daqueles kits de mini comidas, lá tem aos montes.

Em outro dia estava por lá matando um tempo e descobri que na outra esquina abriu uma cafeteria nova. Na minha época *cof*velha*cof* ali era uma loja de artigos de fotografia, Achei um lugar com layout estranho, mas entrei pra conhecer. Além da parte de cafés e chás (tem o tal do dripped coffee pra quem gosta), tem uma parte interessante com doces (bem bonitos) e bentôs.


Na parte de trás tem um janelão com bancada pra ver o movimento da rua, e muitas mesinhas. É um lugar bem gostoso.

Muita gente fala que o Liba está deixando de ser japa e enfrenta uma onda tchaina, mas eu acho que eles tem conseguido equilibrar as duas influencias, e quem ganha é a gente =)

Marcadores: , ,

that would be me. bye!

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018 at 10:30
0 comments
#gordasafada: a casa do porco bar

Acho a carne de porco um tipo de carne menosprezado, e sem razão! Claro que exige muita cautela ao ser preparado, mas todo alimento exige! Acho carne de porco muito saborosa, e os pratos com essa carne são deliciosos, entre os meus favoritos!

Desde que A Casa do Porco Bar começou a fica famosinho eu queria ir nesse restaurante. Um dos pratos mais instagramados era o lamen deles, e parecia maravilhoso. Eu e umas amigas temos o grupo do lamen, que se reúne mensalmente pra comer um lamen diferente, e resolvemos fechar o ano com esse por ser diferente, não ser um lamen de uma casa tradicional de lamen. Uma das minhas amigas até ligou lá na semana anterior perguntando se o lamen era prato do cardápio fixo ou se ele poderia ser retirado, e quem atendeu o telefone nos garantiu que era prato fixo.


O lugar é conhecido por suas filas. O salão não é muito grande e a maioria das mesas é para compartilhar. Como estávamos em 4, demos sorte de conseguir uma mesa só pra gente. Esperamos ansiosamente 1 hora na fila, comentando sobre o lamen que estaríamos prestes a experimentar.

Quando fomos alocadas na mesa, nosso garçom veio nos explicar como funcionava. Além dos pratos do cardápio, eles tem um menu degustação, que também é bem famoso. Mas eu estava ali pelo lamen. Foi a primeira coisa que perguntamos.

- Estamos com cardápio novo e não temos mais lamen.

MAS O QUE??? Sério, eu não acreditei quando ele nos disse isso! Fiquei revoltada! Não é como se não tivéssemos perguntado antes! Pedimos para checar a informação, e ele nos informou que o cardápio tinha mudado naquela semana e o lamen tinha sido excluído. Nossa, brochei/bodiei na hora.

O lamen deles nem era dos mais baratos. Muito pelo contrário, segundo informações custava CINQUENTA E UM GOLPINHOS! As outras coisas do cardápio eram igualmente ou mais caras, mas perdi a vontade de viver depois do balde de água fria de não ter o prato que queríamos...

Foda é que o restaurante fica no centrão, e não tínhamos outra opção de lamen ali perto. Além de já termos perdido uma hora na fila de espera. Nos restou ficar ali, enquanto algumas pediram o menu degustação, eu e outra amiga pedimos omelete de prato principal (sim, porque era a coisa menos cara que tinha). E já que estava num restaurante especializado em porco, pedi um torresminho, que vem com um missoshiro de porco.


Claro que depois da decepção, e já tendo comido muitas vezes o torresmo divino do Mocotó, esse não chega nem aos pés. Não é ruim, mas é meio farinhento, e acho que tem canela. E eu acho que canela é coisa de comida doce, logo: ponto negativo pra mistura. O missoshiro não era de todo o ruim, mas também não era nada espetacular. Poderia viver muito bem sem.


O omelete era, bem, um omelete, acompanhado de pães da casa. Também achei que seria algo maior e mais elaborado. Foi ok, considerando que esse não era o forte da casa mesmo.

Fiquei muito decepcionada de não terem o prato que fomos experimentar, ainda mais que a gente se deu ao trabalho de ligar e perguntar antes. O preço é caro, como todo restaurante gourmetizado da cidade. Não recomendo e não voltaria.

Endereço: R. Araújo, 124 - República

Marcadores: , , , ,

that would be me. bye!

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018 at 22:08
0 comments
#turismologando: monte seu pacote para nyc!

O Melhores Destinos publicou agora a pouco uma promoção da Delta para NYC saindo de SP a partir de R$ 1.733 e eu resolvi montar um pacotinho com dicas de passeios e acomodação pra quem é virgem de NYC!


***isso não é um publi!!! mas empresas que quiserem, estamos ai para negociar, haha!***

"Start spreading the news... I'm leaving today!"

Sei que as notícias de temperaturas recordes de baixas não são muito animadoras para brasileiros, mas também é uma oportunidade única para muita gente ver neve.

Épocas
A promoção tem vôos com saída entre janeiro e abril. O inverno pode ser bastante frio e esse ano está mais ainda. Mas pense na neve! Uma oportunidade única, né? A primavera é sempre uma época ótima pra viajar pra qualquer lugar do mundo. O verão é super quente, mas a cidade fica vazia com as férias escolares. E o outono trás no começo os furacões, mas também aquela paisagem de filme com as árvores avermelhadas.

Acomodação
O burburinho está em Manhattan, onde estão a 5ª avenida, a Broadway, o Central Park. A melhor fatia da ilha é abaixo da 110th street (abaixo do Harlem). Os brasileiros gostam muito do midtown, a região entre as ruas das dezenas 60 e 30 ;). É a região mais movimentada, onde estão o Empire State Building, o Rockefeller Center e a Times Square. Eu particularmente gosto muito do Upper East Side, o lar dos muito ricos de NYC, da galera do Gossip Girl, hahaha!

Um dos queridinhos das agências por aqui é o Row NYC, o antigo Milford Plaza. Ele fica atrás da Times Square, há uma quadra de muitas lojas e restaurantes, perto de metro. É um prédio enorme, que foi reformado há poucos anos. São dezenas de quartos por andar, várias opções de categorias, restaurante pra café da manhã (a parte). Eu me hospedei nele em 2013 e achei uma estrutura legal, hotel limpinho, decoração que pode ser meio moderna demais para os mais tradicionalistas... Mas achei que o tamanho dele é um problema, os elevadores ficam lotados e é difícil conseguir um logo de cara nos horários de pico.


Na Times Square tem o Marriott Marquis, onde fica um dos teatros da Broadway (eu vi Evita com o Rick Martin lá, é legal porque a entrada do teatro fica no hotel então a espera em época de frio não é na rua), o W Times Square e perto tem um Hilton, um Westin e um Intercontinental. Não são opções muito baratas, estão entre 4 e 5 estrelas.

NYC também é a casa de alguns outros hotéis icônicos como o The Plaza (onde o Kevin se hospeda em "Esqueceram de Mim 2" e as "Noivas em Guerra" querem se casar), o St Regis (em cujo bar a Andy consegue o manuscrito do Harry Potter em "Diabo Veste Prada"), o Empire (que o Chuck compra em "Gossip Girl") e o The Palace (onde os Van Der Woodsen se hospedam na primeira temporada de "Gossip Girl"), por exemplo. Então é de se esperar que hospedagem no centro do mundo não seja exatamente barata.

Uma opção que gostei muito de utilizar foi o Air b'n'b e acho que para casos como Manhattan, são a melhor opção mesmo. Pela localização e tamanho, os valores valem muito a pena, e sabendo as melhores regiões para ficar, é só escolher o seu apartamento! Eu fiquei em um no Upper East Side que ficou por US$ 100 a noite para até 2 pessoas. Era um studio com wi-fi, banheiro limpinho e kitchenette, além de aquecimento e ar condicionado, há 1 quadra e meia de metrô, com drogarias em cada esquina, restaurante, Starbucks e há duas quadras de uma rua com H&M, Victoria Secrets e Barnes & Noble!

Passeios
Tem muito o que se fazer em NYC! Verdade que uma parte é paga, mas vale muito a pena. Para tentar economizar, vale fazer as contas dos atrativos individualmente e ver se estão inclusos no City Pass. Ele funciona assim: você paga pelo talão e escolhe, dentre as opções, 6 atrativos para visitar. Eu peguei uma promoção do passe e valeu super a pena. Se você achar que tem muito mais além daquilo que é oferecido, vale pesquisar quais atrativos oferecem entrada de graça em certos dias do mês ou da semana (tem museu que é gratuito em determinados dias, ou horários). Vou falar daqueles que eu já visitei:

Empire State Building x Top of the Rock (Rockefeller Center): Acho o ESB icônico, e na minha primeira visita o Top of the Rock ainda não era aberto. Durante os anos eles tentam melhorar, porque é sim muito cheio, e as filas são bem grandes. Vale a pena usar o City Pass nesse ou então comprar o ticket online para evitar a fila da bilheteria. No Top of the Rock os tickets tem horário, então dá pra comprar pra voltar mais tarde, e quando eu fui, não tinha muita fila. A estrutura é feita para visitação, é toda envidraçada, tem bastante espaço, tem até um restaurante no topo. É mais próximo do Central Park e dá pra ver o ESB de lá. Também é mais alto. É mais conveniente, é verdade, mas não adianta, eu amo o ESB e vou defendê-lo sempre!

Museus (MET, Moma, Natural History): Separe pelo menos metade do seu dia para ver cada um. O MET é incrível, mas é gigantesco, e você tem que escolher o que quer ver, ou consegue passar o dia todo vendo coisas diferentes ali fácil fácil. No topo tem um bar e uma vista linda do Central Park, vale a pena ir de tarde pra pegar o pôr do sol. O de História Natural é coisa de cinema, literalmente, e é o mais divertido. Tem ossadas de dinossauros, tem a réplica da baleia azul, tem muita coisa voltada para o planeta e a natureza. Vale demais a visita, principalmente se estiver com crianças. O Moma é o menor, mas é o que a gente mais se identifica por ter arte moderna e contemporânea. Ali tem o auto retrato da Frida Khalo e o famoso quadro do relógio de Dali. Também tem restaurante (estrelado Michelin) e fica bem no meio do midtown.

Central Park: é onde fica o suposto zoológico do filme "Madagascar". Fui esperando ver um monte de animais e... Fuén, porque só tem animais menores e um show de lobos marinhos no meio. Depois eu li que o zoo com mais animais é o do Bronx. Mas o Central Park é delicioso, tem vários locais pra visitar, do Strawberry Fields, em frente ao edifício Dakota, ao lago onde ocorrem vários casamentos, ao teatro grego e tantos outros lugares ótimos pra relaxar e fazer um pic nic ou tirar fotos incríveis. Não dá pra ir a NYC e não ir ao Central Park, isso é fato. E é de graça!

Eu passei o ano novo na cidade em 2006 e num passeio no parque nos deparamos com um saxofonista que tocou o hino nacional enquanto caminhávamos! O parque é delicioso mesmo deserto.

Ponte do Brooklyn: da ponte é possível ter um vista privilegiada da cidade, não importa se de dia ou de noite. E é um passeio relaxante, uma caminhada sem compromisso. Eu fui até o meio e voltei, mas há quem atravesse até o Brooklyn. Tem um metrô bem na frente da subida da ponte,e então é super fácil de chegar.

Estátua da Liberdade e Elis Island: tenho que admitir que o mais divertido de visitar a Estátua é a balsa até lá, porque a vista é bem legal, claro. Nunca dei sorte nas minhas visitas sempre estava nublado ou chovendo, mas pelo menos não estava cheio. De tempos em tempos dá pra subir na Estátua, pra quem curte é bom ficar de olho. Elis Island é outra parada da balsa, que dá pra fazer no mesmo ticket, e é um museu de imigração. Achei interessante, e não leva muito tempo, além de não custar nada a mais.

Broadway: os espetáculos são super bem feitos e acho que nem os que vem para o Brasil se comparam, então é claro que vale a pena, ainda mais se o espetáculo tiver algum famoso que você queira ver. Se for algo muito famoso, é melhor comprar na internet com antecedência, mas para outros espetáculos dá pra comprar na hora. Alguns tem sorteio de tickets mais em conta. Para aqueles com artistas famosos, tem que checar os dias em que a pessoa se apresenta. Por exemplo, eu comprei o meu ingresso pra "Evita" em um dia que estava anunciado que o Rick Martin se apresentava.

Compras
Com a alta do dólar, as compras não se justificam pelo valor, mas pelas opções. É claro que é uma delícia entrar em lojas gigantes como a Zara ou a Forever 21 e encontrar de tudo por poucos doláres, mas também tem o atrativo de que muitos produtos que tem lá, não tem aqui. Em NYC também tem algumas lojas de descontos como a Century 21, a TJ Maxx e os outlets como o Woodbury e o Jersey Gardens. Pra quem gosta de tecnologia, tem diversas lojas da Best Buy pela ilha, além da Apple Store e da B&H Photo & Video. E as drogarias, pra quem gosta de uma barganha de maquiagem e cosméticos. Inclusive tem até lojas de produtos asiáticos nessa linha, pra quem não pode se desbancar até o Japão ou a Coréia do Sul, hehe...

Transporte
Acho que todo mundo já ouviu falar como o metrô de NYC funciona. E como é feio e sujo. Mas FUNCIONA! Te leva pra todo o lugar, a toda hora! Mas também é grande e exige uma certa atenção pra não entrar no trem errado, pra não ir pro lado errado. O metro tem uma opção de cartão de custo fixo e uso ilimitado por um determinado tempo que vale super a pena.

Agora, para chegar do aeroporto e ir embora, existem algumas opções que devem ser levadas em conta de acordo com o perfil do viajante. Tem algumas ligações de trem dependendo do aeroporto. O taxi, que vai ter tarifa de acordo com a distância, os shuttles compartilhados, que são mais em conta mas levam muito mais tempo para chegar no destino e os traslados, que são bem mais caros, mas você pode contratar diretamente do Brasil e não ter que se preocupar com isso chegando de uma viagem longa.

Provavelmente esqueci muitas dicas, então se quiserem, me perguntem nos comentários que eu vou fazer o possível para responder. Eu amo NYC, tenho certeza que com a viagem certa muito mais gente ainda vai se apaixonar também <3

Marcadores: , , ,

that would be me. bye!

segunda-feira, 1 de janeiro de 2018 at 17:20
2 comments
o começo do resto das nossas vidas


Hoje é um novo dia, de um novo tempo, que começou...
Todo momento é o momento pra gente começar uma vida nova, basta a gente decidir isso dentro da gente. Hoje é 1 de janeiro de 2018, mas poderia ser qualquer outro dia, em qualquer outro mês, em qualquer outro ano. Aquela coisa que você sonha fazer? Faça! Não existe melhor momento do que agora para VIVER!

Sei que 2917 não foi um ano agradável, e sei que não vivemos momentos fáceis, mas temos que tomar as rédeas das nossas próprias vidas se quisermos conquistar aquilo que realmente desejamos. Já ouviram falar da máxima que "quem quer faz, que não quer arranja uma desculpa"? Pois é! A gente nunca vai alcançar nada só reclamando, sem mudar as atitudes... A gente não chega em lugares diferentes andando pelas mesmas ruas sempre!

Isso não é um texto de auto ajuda, mas é uma reflexão pessoal. Passei muito tempo vendo a vida passar, sonhando com os meus desejos, mas sem efetivamente fazer algo para alcançá-los. As vezes o que a gente precisa é de um chacoalhão para acordar pra vida e transformar sonhos em realidade, por mais cliché que isso soe. Obstáculos na vida são só isso, obstáculos. Não são o fim da vida, não são o fim de um sonho. "Nada que valha a pena é conseguido sem esforço".

2018 vai ser um ano de desafios e muito trabalho, mas será necessário para a conquista daquilo que quero para a minha vida. Já batalhei muito por outras coisas que quis muito, e consegui. Por que seria diferente agora, né? 

Comece o ano com apenas a resolução de viver, de realizar sonhos. O resto? A gente já estará correndo atrás!


Marcadores: ,

that would be me. bye!

about the girl

Pode me chamar de Vy. Balzaquiana com cara de universitária. Turismóloga de formação. Rodinha não só nos pés, mas no coração também. Introvertida. Blogueira old school.

good reads

@ nati n.
@ nicas
@ mari
@ lari
@ fernanda n.
@ paula b.
@ tany
@ maria t.
@ gesiane
@ thais h. [projeto disney]
@ aline a.
@ chat-feminino
@ viviane
@ lorraine

the past



extras

splash! of colour