HOME | SOTMB | VY.COM.BR


#turismologando: monte seu pacote pra orlando/2018!
quinta-feira, 14 de dezembro de 2017 at 14:23
0 comments

Criei um bode de trabalhar no Turismo, mas uma vez turismóloga, sempre turismóloga. Não me aguento quando vejo promoção BOA de viagem e sempre acabo compartilhando e dando dica pra quem me pergunta. Então porque não montar um roteirinho básico com o que eu vou encontrando pelas internê da vida, né?



***isso não é um publi!!! mas empresas que quiserem, estamos ai para negociar, haha!***

Eu gosto de acompanhar promoções de passagem pelo site Melhores Destinos, são confiáveis e eles realmente cavam fundo, não simplesmente postam que tem a promoção e acabou, eles buscam quais as datas estão com os melhores preços, por quais aeroportos de saída, quais companhia, etc.

A Aeroméxico anda com muito boas promoções para América do Norte, e as vezes aparece até coisa pra Ásia! Essa semana apareceu essa super promo de passagens pra Orlando e Miami pro ano que vem a partir de R$ 1.411 com taxas já!!!

E pra quem tem essa preguiça eterna de economizar dinheiro e organizar a sua própria viagem pra Disney (sério, é ridículo de fácil), resolvi dar aqui algumas dicas de hospedagem e de planejamento.

Orlando é uma cidade bem espalhada, as coisas ficam longes umas das outras. E a Disney é só a Disney: os parques da Universal, bem, não são Disney e ficam longe.

Os hotéis da Disney, claro, ficam perto da Disney. Tem pra todos os bolsos, desde as categorias mais economicas, até as mais luxuosas. Mas mesmo as mais econômicas ainda são mais caras do que os hotéis fora do complexo. De vantagens, quem se hospeda dentro do complexo tem acesso aos parques mais cedo em algumas épocas do ano, conta com sistema de transporte a toda hora entre os hotéis e os parques, conta com sistema de entrega de compras no hotel (não tem que ficar carregando um monte de sacola pelo parque) e ainda pode pedir traslado de chegada e saída da própria Disney. De desvantagem, fica longe de todo o resto da cidade.

Pra quem fica fora do complexo, vai pagar menos (as vezes é a metade do valor!), vai ficar mais perto de centros comerciais e vai ter sim transporte pra dentro do complexo de graça (vou dar aqui dicas de opções com esse serviço, mas se forem procurar fora dessas, vejam se oferecem esse amenitie, é bem comum), mas fica refém dos horários fixos e bem mais escassos, e de uma pequena viagem todo dia (as vezes o ônibus fica lotado e você tem que ir de pé), além de ter que carregar suas sacolas pelo parque em cada compra e não ter o traslado incluso.

Dito isto, vamos ao que interessa:

Hotéis da Disney
Dentro da categoria economica, estão os All Star e o Pop Century. A diferença é que o Pop Century é mais novo, então é um pouco mais caro. Mas em termos de estrutura e serviços, são iguais. O Art of Animation eu colocaria numa categoria mais familiar, é bom pra quem vai com crianças, quer ficar no mesmo quarto, mas não quer ficar apertado.

Hotéis fora dos parques
Orlando é um mar de opções, fica até mesmo um pouco confuso escolher o que é melhor, e nesse caso vale muito a pena dica de amigos que vão pra lá com mais frequência. A amiga Tay pediu umas dicas e vou mandar pra ela uma lista mais completa pra ela postar no Projeto Disney, que tem muitas dicas sobre o destino ;)

O foco dessa listinha rápida é mostrar como é fácil e rápido montar um pacote igual a esses que podem ser encontrados em sites de grupo de compras, então vou mencionar alguns hotéis similares ao que vejo sendo anunciado por ai.

Em 2012 fui com uma amiga e dividimos a estadia entre metade das noites dentro da Disney e metade fora, no hotel Rosen Inn Pointe Orlando, um hotel econômico de frente pro Pointe Orlando, um centro comercial onde fica "a casa de ponta cabeça" (Wonderworks). É desses hotéis grandões, tem piscina, os corredores são longos mas se assemelham aos hotéis econômicos da Disney, os corredores são abertos, os quartos tem um tamanho decente pra acomodar malas grandes e compras, tem cofre, minibar e transporte pra Universal e pro Sea World. Precisamos de um taxi super cedo de manhã na saída e foi bem fácil conseguir um carro qua acomodasse 4 malas na hora.

Alguns sites usam hotéis em Kissimee, porque são ainda mais baratos, como é o caso do Maingate Lakeside Resort. Como o nome diz, é mais um resort, prédios baixos, piscina, área de recreação mais elaborada (mas nada extra, é um hotel econômico bem simples). O Travelodge Suites East Gate Orange é ainda mais simples e também tem transporte para os parques.

Hotéis na International Drive são bem localizados e atendem bem ao público brasileiro, e os de Lake Buena Vista também. Pra quem quer alugar carro, a maioria dos hotéis tem estacionamento, então é bem sussa.

Tickets dos parques
Ao comprar um desses pacotes promocionais muita gente nem se liga que eles não incluem os tickets dos parques. Dá sim pra comprar no Brasil, não paga a mais e ainda dá pra parcelar. Os operadores oficiais da Disney no Brasil são a RCA, a Agaxtur e a CVC (outras agências compram deles e outras operadoras não tem o mesmo acesso a valores).

Deixem de preguiça e pensem na grana que podem economizar se dedicarem uma hora do seu dia por alguns dias para pesquisarem sobre o destino que gostariam de conhecer. É sempre bom acompanhar promoções e pacotes, procurem agências que se especializam neles, achar um bom preço de viagem é igual compra de super mercado: tem que pesquisar pra conseguir o melhor ;)

Marcadores: , , , ,

that would be me. bye!

#gordasafada: lamen açu
segunda-feira, 11 de dezembro de 2017 at 10:30
2 comments

Eu tenho um grupo de amigas que se reúne mensalmente para experimentar um lamen novo, em um jantar durante a semana. Tudo começou quando uma delas me pediu pra apresentar os bons lamens da cidade, quando isso ainda eram só uns 2 ou 3 na Liberdade, e ai houve o boom dos lamen-yas, o que trouxe outra amiga pro grupo. Com o tempo, adicionamos outra amiga que agora está mais disponível para esses programas de dia de semana e tentamos sempre descobrir coisas novas juntas.

O Lamen Açu tinha que ser provado pela sua premissa: é a casa do lamen amazônico. Na verdade tem várias receitas no menu que tem influências da amazônia, com ingredientes diferentes e um toque brasileiro em coisas tradicionais japas.

A localização dele é ótima, bem perto do metrô da Praça da Arvore. Gosto muito de lugares fáceis de acessar! O lugar é bem bonitinho, e eu diria, lembra bastante coisas japonesa. Além do cardápio, eles tem uma brochura que explica o conceito da casa e os ingredientes diferentes. Achei muito bem pensado!

De entrada, comemos uma porção de guiza, com 6 bolinhos. Não sei se era a fome, mas tava muito gostoso!

Depois foi a hora de escolher o lamen. Eu sempre experimento a mesma coisa, assim posso comparar com outros restaurantes. Uma das minhas amigas resolveu experimentar o parmegiana don, um domburi de parmediana. Exótico!


Eu gostei bastante da minha opção, shoyu lamen. A tigela parece ser menor do que lugares como o kazu, mas vem bastante macarrão, o que se assemelha muito com o Aska. E vem moyashi e ovo, o que eu sempre amo, hehe.

Minha amiga não ficou muito impressionada com o parmegiana don, pediu pra embalar pra viagem antes da metade e pediu um lamen amazônico, que ela também não aguentou inteiro, mas achou interessante. Todas concordamos que vem muito macarrão, mas é uma boa pedida, ainda mais tão perto do metrô. Uma delas mora ali perto e já disse que vai voltar sempre que tiver vontade de um lamen, hehe...

O valor é de um médio lamen, em torno de R$ 30.

Marcadores: , ,

that would be me. bye!

#gordasafada: bawarchi
quinta-feira, 7 de dezembro de 2017 at 10:30
1 comments

As pessoas acham que eu sou uma pessoa que come de tudo, mas a verdade é que eu consigo me virar bem em qualquer situação. A verdade é que sou meio fresca com várias coisas e como sempre uma comidinha bem normalzinha...

Das coisas que eu realmente não curto é curry. Existe o japonês, o karê, que eu nunca curti (minha mãe sempre fazia em casa e essa era a exceção que meu pai permitia pra eu comer de diferente do resto da família) e o que todo mundo tá mais acostumado, que é o indiano. É a base da comida na India, algo que os ingleses se apropriaram e conseguiram deixar sem graça (mas ainda assim, eu não curti).

Mas ai eis que minhas amigas da faculdade resolveram se encontrar pra ir num e eu resolvi ir. Meio que já sabendo que eu não ia gostar da comida, hahaha! É ai que as máscaras caem =P

O Bawarchi é um restaurante tipicamente indiano. Uma das minhas amigas trabalha para um fornecedor indiano e sempre tem que ir pra India, e ela disse que o lugar é bem indiano. É uma laje na Aclimação, uma coisa nada glamurosa, mas bem interessante. E aparentemente é famoso, porque estava cheio e tinha um grupo grande de gente comemorando aniversário!

É tão típico quanto os restaurantes chineses da Liberdade. Os garçons são indianos e falam um português bem mais ou menos, mas eles tiveram alguma paciência e tentaram explicar o que eram os pratos que a gente tinha dúvida.

Como eu já sabia que não ia curtir muita coisa, fiquei na opção mais segura e pedi um curry de frango. A única coisa estranha é que os curries não vem com nenhum acompanhamento, então tem que pedir nan e arroz a parte. O nan é unitário, mas a porção de arroz dá pra dividir. Minhas amigas pediram o menu degustação que são  porções diferentes, com curries e carnes diferentes. Tem até carneiro!


Uma outra amiga que não estava conosco já tinha ido e alertado que não tinha gostado do atendimento, mas achamos que foi bem correto. E olha que a gente deu uma causada, alugando os garçons e depois com o pagamento, haha!

A comida indiana é bem baseada em legumes, mas lá no restaurante tem muita opção de carne, e nem tudo tem curry, mas é a coisa mais típica. Tem coisas com iogurte (a porção branca do menu degustação é de base de iogurte natural) e kebabs também. O valor fica em torno de uns R$ 50, dependendo do que pedir, e pra quem gosta, é um prato cheio! Mas é pra querer se sentir na India mesmo, hehe...

Marcadores: , , ,

that would be me. bye!

#eufui: bruno mars, 24k magic tour - são paulo 22/10/2017
segunda-feira, 4 de dezembro de 2017 at 10:30
0 comments

A maratona de shows do ano acabou! As pessoas as vezes se espantam com a quantidade de shows que eu vou, que não perco um show que eu quero mesmo ver... Eu não nado em dinheiro, muito pelo contrário! Mas cada um tem suas prioridades na vida... Não tenho casa, não tenho carro, não tenho iphone, não tenho tv a cabo, não tenho nem namorado... Ai fica mais fácil sobrar para aquilo que eu gosto ;)

O último do ano foi também um ingresso que comprei há tanto tempo que tinha que ficar checando a data sempre, senão eu teria quase esquecido, hehe. Último show do ano, último perrengue que passo...

Em 2012, Bruno Mars veio pela primeira vez pro Brasil pra participar do Summer Soul Festival, que aconteceu no Anhembi. Ele fechou a noite, que ainda teve a Florence and the Machine. Aquele show foi espetacular. Sempre digo que o cd não faz jus ao talento desse cara. O novo Michael Jackson é ele! A voz é incrível, a presença no palco enche o estádio!

De´pois de todo esse tempo ele voltou... Pra tocar naquela lonjura do caralho que é o Morumbi!!! Já disse que odeio o Morumbi? Odeio sim. É longe, não tem metrô nem trem perto e as vias são uma bosta, o trânsito pára, é um inferno pra chegar e sair daquele cacete frouxo >.< Minha sorte é que tinha tempo livre de chegar mais cedo e fazer hora ali perto. Olhei o mapa e achei um Starbucks próximo e fiquei ali até perto da hora do show de abertura. Santo Starbucks!


Na abertura desse show teve DNCE, a banda do Joe Jonas, o irmão mais velho dos Jonas Brothers. Acho que ele tenta coisas interessantes e o DNCE tem um som bem dançante, gostoso. A banda no palco é bem divertida e eles entretém o público.

Bruno & os Hooligans entraram no palco bem pontualmente. Pontualmente também começou uma garoa fina, mas prevenida que sou, já estava com minha capinha de chuva a postos, hehe.

O show foi maravilhoso, claro, com muitos fogos de artifício. A banda continua impecável, e Bruninho... Ah! Ele é encantador, né? Um xuxuzinho, dá vontade de levar pra casa!!! Esse show foi bem mais elaborado que o de 2012... Inclusive ele podia ter trazido pro Alliaz, que ficaria mais lindo ainda! Já mais escolada, dessa vez fiquei bem atrás de uma torre de som, porque o som no Morumbi é uma merda, um desrespeito ao público de tão ruim!

Sério, eu poderia ter aproveitado muito mais se o stress de estar num lugar tão ruim não me deixasse tão nervosa de raiva. Como estava sozinha, resolvi que sairia antes do bis para conseguir chamar um carro e ir embora. Mas o Morumbi é um lugar tão de bosta que a internet sequer funcionava direito, e quase não consegui sair de lá a tempo!

Quando ia indo embora, ainda ouvi um pouco do som e os fogos. Fico imaginando que cú que é morar ali perto. Eu não escutei uma explosão sequer do show do Coldplay (tiveram 2 e eu só fui em 1), que é walking distance da minha casa. Enfim, sobrevivi e nunca mais irei num show naquele panetone estragado!

Setlist:

Finesse
24K Magic
Treasure
Perm
Calling All My Lovelies
Chunky
That's What I Like
Versace on the Floor
Marry You
Runaway Baby
When I Was Your Man
Piano Solo
Locked Out of Heaven
Just The Way You Are

Encore:
Uptown Funk

Marcadores: , , , , ,

that would be me. bye!

about the girl

Pode me chamar de Vy. Balzaquiana com cara de universitária. Turismóloga de formação. Rodinha não só nos pés, mas no coração também. Introvertida. Blogueira old school.

good reads

@ carol c. [rolê do amor]
@ nicas
@ nati n.
@ line
@ lari
@ lomogracinha
@ fernanda n.
@ paula b.
@ thais h. [projeto disney]
@ tany
@ lia f. [verbo ler]
@ maria t.
@ simone pearl
@ anne r. [cat loves vinyl]
@ bruna
@ pamela
@ lecticia
@ gesiane
@ chris m.
@ meire k.
@ carlos & denise

the past



extras

the simple life