HOME | SOTMB | VY.COM.BR


quando a idade tira o prazer
terça-feira, 27 de dezembro de 2016 at 10:05
2 comments

Eu sei que vivo dizendo que estou velha pras coisas. Velha pro fervo, velha pra bebedeira, velha pra aturar adolescentes. Na maior parte do tempo eu sei o que devo evitar e sei onde estou me metendo.

Na maior parte do tempo não é sempre.

Eis que desde que voltei da Inglaterra estou decidida a reencontrar alguns dos meus restaurantes favoritos e dia desses tive a oportunidade de voltar ao bar do Bee W, um albergue da juventude na região da paulista. Uma das pessoas que me apresentou esse bar foi a Tany e antes de viajar eu sempre ia com a Carol, geralmente de sexta, tomar umas caipirinhas e comer. Os lanches sempre foram bem feitos e o atendimento bem divertido.

No meu retorno, ainda tive a atenção de ligar lá antes pra confirmar que ainda serviam meu prato favorito. Cheguei lá, no meio da semana, e o lugar estava bem cheio. A pessoa que me atendeu no telefone esqueceu de mencionar que estava tendo um aniversário e a parte coberta estava fechada, só tendo lugar na parte de fora, onde as pessoas fumam.

Um adendo: odeio fumantes. Não é pessoal, mas odeio que nenhum deles se importa de verdade com as pessoas ao seu redor. A fumaça é prejudicial a quem inala, além de impregnar a roupa alheia. Acho o cúmulo da falta de educação fumar sem olhar pros lados pra ver se vai incomodar. Fora que considero o fumo uma forma de suicídio, e quem quer se matar, que o faça longe de mim, sem envolver terceiros. O que cada um faz da sua vida é de cada um desde que não interfira na vida dos outros.

Pedi uma mesa o mais longe possível da área de fumantes, o que me deixou isolada, mas ok. Fiz meu pedido rápido e claro que logo veio minutos bebida.

Os fumantes sem noção ficaram jogando fumaça e cinza a torto e a direito, como se o mundo estivesse a disposição somente deles. Mas o vento estava a meu favor, e pela maior parte do tempo, valeu a pena a espera.

Porém a espera acabou sendo muito mais longa do que deveria. Mais de meia hora depois e nem sinal do meu prato, enquanto diversos outros passavam lá dentro e até na área de fumantes. Com o horário, o lugar ficou mais cheio ainda e vieram mais fumantes. Sem o menor respeito e educação. E eu a comecei a passar mal. De verdade, de não conseguir respirar e ter ânsia de vômito.

Tive que trocar de lugar pra ficar mais longe ainda, e ainda esperei mais ainda pra ser servida. Já estava com fome no ponto de ser grossa com o garçom, mas nada naquela situação se salvava


Finalmente meu prato chegou. Claro que ele continua uma delícia, e o preço é bacana, mas eu não tenho mais idade pra passar o perrengue de ser mal atendida e ficar no meio daquela pirralhada e dos fumantes mal educados.

that would be me. bye!

about the girl

Pode me chamar de Vy. Balzaquiana com cara de universitária. Turismóloga de formação. Rodinha não só nos pés, mas no coração também. Introvertida. Blogueira old school.

good reads

@ carol c. [rolê do amor]
@ nicas
@ nati n.
@ line
@ lari
@ lomogracinha
@ fernanda n.
@ paula b.
@ thais h.
@ tany
@ lia f. [verbo ler]
@ maria t.
@ simone pearl
@ anne r. [cat loves vinyl]
@ bruna
@ pamela
@ lecticia
@ gesiane
@ chris m.
@ meire k.
@ carlos & denise

the past



extras

the simple life