home | sotmb | vy.com.br


sexta-feira, 13 de abril de 2018 at 23:57
2 comments
#euvi: love, simon

Meses depois e ainda to apaixonada por #cmbyn. Acompanho sim a tag no Twitter, e como ainda tá em lançamento em várias partes do mundo, vira e mexe tem coisa novas (como fotos maravilindas dos bastidores ❤️).

Foi assim que descobri esse outro filme sobre o primeiro amor de um adolescente, "Com amor, Simon", baseado no livro "Simon e a agenda homo sapiens" (Simon and the homo sapiens agenda). Na verdade eu tava com um pouco de ranço porque muitas coisas que eu li era em comparação a "Call me", fãs contra fãs e isso geralmente me dá preguiça.

Mas ai esses dias eu não tava fazendo nada mesmo e resolvi ir ver no cinema.


Simon é um aluno do último ano na escola. Branco, não afetado, bom aluno, bom filho, bom irmão, família bem funcional, classe média, elite intelectual. Basicamente o retrato do privilégio americano. Mas ele é gay enrustido. 

Na comunidade deles, rola uma coisa meio "Gossip Girl", com um tumblr (blog é coisa de millenial, afs) com os segredos da escola revelados. Um belo dia, surge uma confidência anônima de outro garoto enrustido, com quem Simon começa uma relação com e-mails fakes. Tudo vai bem, até que claro, alguém descobre essa correspondência e começa a chantagea-lo.

O filme é bem adolescente, rola varias inseguranças e trapalhadas, mas nada grave.

Em comum com #cmbyn, só o fato do protagonista ter 17 anos. E realmente é só. Elio explora muito mais a sua sexualidade e o seu desejo, sua preocupação nunca foi sair do armário. Para Simon, isso é um grande PROBLEMA. Que só ta na cabeça dele. Simon se mete em um monte de confusão com essa coisa de não querer sair do armário, envolve os amigos e brinca com os sentimentos de gente que ele diz amar. Claro que nada e muito grave, porque e um simples filme adolescente, mas cria desentendimentos desnecessários.

Também falaram do discurso da mae, mas desculpem, que discursinho fajuto em comparação a obra literária que e o magnífico discurso final do Mr Pearlman! E até um insulto ao Andre Aciman essa comparação!

Guardadas as devidas proporções, não encare os filmes como iguais, porque um não tem nada a ver com o outro. "Call me by your name" e um filme de arte sobre a descoberta do desejo, o amor e um coração partido. "Simon" e um filme de high school que por acaso tem um protagonista gay.


Marcadores: , ,

that would be me. bye!

about the girl

Pode me chamar de Vy. Balzaquiana com cara de universitária. Turismóloga de formação. Rodinha não só nos pés, mas no coração também. Introvertida. Blogueira old school.

good reads

@ nati n.
@ nicas
@ mari
@ lari
@ fernanda n.
@ paula b.
@ tany
@ maria t.
@ gesiane
@ thais h. [projeto disney]
@ aline a.
@ chat-feminino
@ viviane
@ lorraine

the past



extras

splash! of colour