HOME | SOTMB | VY.COM.BR


#diáriodeviagem: paris, atrações turísticas
quarta-feira, 13 de abril de 2016 at 10:30
1 comments


Impossível ir pra cidade mais turistica do mundo e não turistar, né? Mas assim como eu fiz no Japão, eu elegi poucas atrações que eu queria com certeza fazer e deixei a ocasião me mostrar mais da cidade, assim eu teria com o que me surpreender!

Como eu estava com a minha amiga, e ela está acostumada a hospedar pessoas que nunca foram a Paris antes, ela já tem um rteiro meio traçado daquilo que é "imperdível".

Segurança em Paris: muita gente me perguntou sobre como estava a cidade em face ao terrorismo (depois dos ataques na própria cidade em novembro, o continente viveu mais momentos de terror com mais ataques em Bruxelas umas 2 semanas antes de eu viajar) e minha mãe ficou super preocupada de eu ir pra Paris justo agora. Porém a lógica da segurança em países seguros é: a criminalidade é relativamente baixa (roubos e assassinatos, por exemplo), então a segurança é branda. Ai acontece um ataque terrorista exatamente porque não havia segurança reforçada e então eles colocam não só a polícia na rua, como segurança particular em tudo. E ai a cidade fica mais segura ainda. Além do esquema de segurança na estação de trem para viagens entre diferentes países, em toda a loja, grande ou pequena, tinha segurança na porta checando bolsas e mochilas e detectores de metal de mão. Nas grandes atrações, o esquema era parecido com o do trem (com portal detector de metais e máquina de raio-x). Único lugar sem esse esquema é metrô mesmo...

Particularmente, eu não me incomodei com esse esquema, mas tenho que confessar que com essa cara de japa, eu não sou "grupo de risco" e a revista em mim era muito mais suave do que com homens e pessoas de cor.


Das atrações que eu fazia absoluta questão de conhecer estavam a Torre Eiffel, O Palácio de Versalhes, a Disney e o Louvre. Sei que pra 1 semana parece pouco, mas eu não gosto de ter que fazer tudo correndo. Ainda assim, fiz tudo correndo porque entre uma coisa e outra tem tanto pra se ver!!!

Minha amiga me levou na Torre logo no primeiro dia. Ela não me avisou exatamente onde a gente estava indo, a gente pegou o metrô e foi, mas quando perguntei que estação a gente ia parar, ela falou Trocadero e já me liguei porque já tinha lido que era essa a melhor parada pra ver a Torre! E realmente, acho que é a melhor introdução a um cartão postal, você vira a esquina e , tá lá a Torre Eiffel linda e imponente! E cheia de turistas em volta! Acho que nunca vi um lugar tão cheio de turista na vida!!! Era domingo e o dia nem tava tão bonito assim (de manhã o tempo tava lindo e quente, mas a tarde ficou nublado), mas tinha gente saindo pelo ladrão! Não subi nesse dia, resolvi voltar no meio da semana e dei uma super sorte! Cheguei pra comprar a entrada com direito a subida de elevador até o topo umas 10h30 e quase não tinha fila! Deu pra aproveitar bem, o dia tava bem bonito, ensolarado, apesar de frio. Quando desci, uns 90 minutos depois, a fila tava lá do outro lado já! Achei que as lojinhas de souvenires de lá foram as melhores da viagem, apesar de caras. Pra achar coisa diferente e interessante, é na Torre!

Fui no Louvre no final do mesmo dia. Todo mundo fala que é melhor ir no museu no fim do dia e resolvi apostar. Todo mundo também fala que o museu é gigante e que a gente tem que escolher o que quer ver porque é impossível ver tudo. Eu queria ver a Monalisa, o resto era lucro. Quando cheguei, umas 15h30, não estava lotado, mas também não estava vazio. O saguão da Mnalisa é uma bela andada da entrada, e é sempre cheio, mas até que deu pra chegar pertinho e fazer uma selfie. Depois eu inventei de querer ir nos aposentos do Napoleão, que em tese eram perto, mas devido a uma obra no prédio, ficou impossível de chegar. Me perdi no meio do caminho e fui parar no jardim das esculturas italianas, e resolvi ficar por ali mesmo! É um saguão amplo e bem iluminado, cheio de esculturas lindas, com uns bancos nas laterais, um lugar super gostoso de ficar.


O Palácio de Versalhes deixei pra visitar no último dia, achei que umas 4 horas davam e quase não consegui ver muita coisa! O palácio em si é o menos interessante, o que chama atenção mesmo é o jardim enorme no fundo e os domínios da Maria Antonieta. Pra chegar lá, peguei um RER que custou € 3,55. Da estação, andei mais uns 15 minutos até dar de cara com o palácio. Comprei a entrada na hora e resolvi ir ver os domínios da Maria Antonieta primeiro. E resolvi fazer isso a pé, pra aproveitar os jardins.

A caminhada pelos jardins é bem gostosa, ainda mais nessa época que é ensolarado e friozinho, então não cansa tanto. Mas depois de sair pelo portão do Grand Canal, a caminhada é meio longa até o Grand Trianon. Mas foi lá que vi alguns dos aposentos mais bonitos, que parecem mais com a realeza européia que a gente vê em filme (pensa na nobreza de Ligações Perigosas, por exemplo). Os jardins entre o Grand e o Petite Trianons é bem bonito, uma caminhada agradável. Atrás do Petite Trianon tem a fazenda e umas outras coisas, que aquela hora eu já não tinha mais forças pra explorar. Sério, foi uma longa andança!!! Pra quem não curte andar, exige muita força de vontade fazer esse passeio. Existe a possibilidade de pegar um trenzinho no lado oposto da entrada dos jardins que levam do palácio até o Grand Trianon direto. Custa € 4,00, tem outras paradas e pode ser usado pro retorno. Na volta eu acabei pegando o trenzinho ou não teria sobrevivido não!!!

No palácio, vi a sala dos cristais, famosa, e outros salões do lado, mas só porque é impossível ver uma coisa só e ir embora! O layout do palácio é feito pra não ter jeito de dar meia volta, o que achei bastante estúpido! Pra piorar, como em toda Paris, ali no palácio também tá cheio de grupos de chineses. Eu dei o azar de entrar bem na memsa hora que uns 5 deles!!! Foi meio traumatizante >.<


Sobre a Disney, vou falar em um post separado, mas já digo que tudo o que falam sobre ser a ovelha negra da família é verdade!

Além desses passeios que eu queria fazer, minha amiga ainda me levou na Sacre Coeur de Mont Martre, aquela lá no alto da colina (que eu subi de funicular - € 1,80) e por um passeio na região (que ficou mais famosa por causa da Amelie Poulain), com direito a crepe num lugar cheio de recados e fotos colados na parede (tipo, não dava pra ver parede, haha) e claro, ao Café des 2 Moulins.

Também passei na frente do Moulin Rouge, que fica numa região meio degradada... Mas logo depois fica uma região mais sossegada, que é onde minha amiga trabalha e ai o passeio fica mais tranquilo. Claro que tem muito turista ali na frente, até vi uma pessoa sentada num banquinho lendo um livro, mas eu não achei esse passeio particularmente interssante.

Fomos claro na Champs Elysee, que como disse, é relativamente perto da casa da minha amiga. O Henrique estava na cidade coma família, a gente sabia que estaria lá na mesma época, mas não combinamos de nos encontrar porque sabiamos que seria impossível. Porém, só porque a gente não combinou nada, nos esbarramos em plena Disney Store!!! Não acreditei! O mundo é minúsculo mesmo...

A Champs Elysee deixou de ser chique a muito tempo, hoje é um mar de turistas e lojas lotadas, de luxo, só alguns preços mesmos. Mas ainda é uma via bonita, ampla, que dá no Arco do Triunfo. Ainda é sim um passeio válido, até porque tem várias lojas famosas todas juntas. A Sephora de lá é uma das maiores que já vi! E tem a Disney Store (pra quem não sabe, existem itens que são vendidos exclusivamente em lojas fora dos parques) <3


Ainda sobre compras, passamos na Rue Rivoli que também é cheia de lojas e marcas, mas coisas menores. Fica atrás do Louvre, pra quem quiser escapar da loucura que é a Champs Elysee.

Passamos na Galeries Lafayette também, mais pelo passeio do que pelas compras. É umaenorme loja de departamento de luxo. Tem stand da Shu Uemura e lá eles vendem o melhor curvex do mundo por 3 vezes o preço do Japão! Mas tá valendo, uma vez que não se vende mais nos EUA e é mais fácil achar alguém indo pra Paris do que pro Japão...

A melhor parte da galeria é que tem uma cobertura deliciosa, cheia de cadeiras e bancos, de onde dá pra apreciar a cidade e a Opera, ali na frente <3. Ficamos á um tempão, o marido da minha amiga até tirou um cochilo, haha!


Passei ainda pelo Jardim das Tulherias (na frente do Louvre), pelo Jardim de Luxemburgo, pela Notre Dame (mas não entrei), na frente do Museu Pompidou e do Pantheon. Ufa!

Os primeiros dias começaram mais devagar, a gente dormiu mais e tal, mas depois era acordar cedo e ir dormir tarde e andar o dia tooooodo. Paris é um dos lugares mais cansativos que já visitei, e tô cansada até agora e não sei quando vou me recuperar! Mas vale muito a pena porque é uma cidade linda!

Ainda vou contar de 5 lugares onde comi (claro!) e fui muito bem servida!

Marcadores: , , , , , , , , , , , , , , ,

that would be me. bye!

about the girl

Pode me chamar de Vy. Balzaquiana com cara de universitária. Turismóloga de formação. Rodinha não só nos pés, mas no coração também. Introvertida. Blogueira old school.

good reads

@ carol c. [rolê do amor]
@ nicas
@ nati n.
@ line
@ lari
@ lomogracinha
@ fernanda n.
@ paula b.
@ thais h.
@ tany
@ lia f. [verbo ler]
@ maria t.
@ simone pearl
@ anne r. [cat loves vinyl]
@ bruna
@ pamela
@ lecticia
@ gesiane
@ chris m.
@ meire k.
@ carlos & denise

the past



extras

the simple life