home | sotmb | vy.com.br


quarta-feira, 4 de abril de 2018 at 22:34
2 comments
em defesa de armie hammer (em #cmbyn)

"Call me by your name" já se tornou um dos meus filmes favoritos da vida. Acompanhei fervorosamente a temporada de prêmios por causa desse filme e de todos os envolvidos e me deliciei com cada nova entrevista de cada um.

Timothee Chalamet e Michael Stulbarch realmente roubaram cenas com momentos edificantes durante o filme, e Luca Guadagnino consegue fazer qualquer um se apaixonar por qualquer coisa sobre a qual ele estiver falando, mas, depois de uma matéria muito da azeda que o Buzzfeed publicou sobre a carreira do Armie Hammer, poucas pessoas se deram ao trabalho de expressar o quanto o trabalho dele nesse filme também é espetacular.

Pela natureza da narrativa, não conhecemos muito sobre o personagem dele, Oliver. é natural, a história é contata do ponto de vista de Elio, e o que vemos de Oliver é o que quer que seja que Elio vê, então existe essa limitação no entendimento do personagem Oliver. E ainda assim, com tão pouco, Armie Hammer consegue comunicar tanta coisa!


Durante boa parte do filme a gente só observa Oliver passear pela casa dos Pearlman. É como se fossemos Elio, só admirando esse cara alto, lindo e confiante bailar pela vida na nossa frente. Nada parece abalar esse "muso". E então a perspectiva começa a mudar um pouco, após uma tarde de chuva em que a famíla Pearlman discute um trecho de Heptamerão, em que um humilde cavalheiro debate se deve revelar seus sentimentos a uma nobre donzela. Enquanto Elio casualmente conta sobre essa discussão, observamos a cena da perspectiva de Oliver, com a camera filmando Armie Hammer em primeiro plano, de costas para Timothee Chalamet. Oliver está absorto em pensamentos, debatendo internamente o significado dessa passagem em sua própia vida, "is it better do speak or die?" e podemos ver nitidamente em cada expressão do rosto de Armie Hammer exatamente o que se passa. Tem que ser muito bom pra conseguir passar tanto sentimento sem uma linha do script, e essa é uma das minhas cenas favoritas!


Depois da primeira noite, apesar da felicidade de ter dormido com Elio, Oliver tem receio de que algo dê errado, porque ele sabe que Elio nunca experimentou nada do tipo antes. De fato, Elio acorda estranho, e vemos Oliver sentir alegria, receio e medo em um pedacinho pequeno da cena, mas que diz muito do personagem. É um momento do Armie Hammer atuando com nada, ninguém, só com a camera! Adoro quando chega nessa parte pra ver as caras que ele faz, até o sorriso que ele dá quando eles decidem ir nadar não é o mesmo sorriso de sempre e ele consegue fazer a gente sentir tudo com maestria!


Elio é um adolescente muito confuso que só manda sinais contraditórios, mas Oliver sabe que tem que descubrir o que é que existe lá no fundo. Quando eles chegam de volta e cada um vai pro seu quarto, vemos Oliver arquitetar o próximo passo, da dúvida até a certeza do que deve fazer. Adoro esse close no Armie Hammer, é exatamente como a gente faz quando dá aquela luz na nossa vida sobre algo que está nos importunando! E é uma cena que não tem ninguém mais, é só ele mesmo no comodo!


Essa é a cena preferida do Timothe Chalamet de Armie Hammer no filme. Ele sempre fala que Luca queria que ele expressasse um turbilhão de sentimentos naquele momento n escuro e que acha que essa cena é uma das obras primas do cinema. Tenho que concordar com Timothee, Armie arrasa comunicando a antecipação da dor da despedida enquanto Elio dorme ao seu lado.


Coloquei essa foto como um bônus porque acho que o Armie tá lindo nela, hahaha! Na verdade, acho essa cena engraçadinha,  Professor Pearlman está falando sobre a sensualidade das estátuas masculinas do slides que está mostrando para Oliver, e Oliver desconfia que o professor sabe muito bem o que se passa no íntimo de seu convidado. É comoo se ele dissesse "sério???"


Espero que apreciem a qualidade do trabalho desse ator maravilhoso. Mas claro, pode apreciar essa beleza também,porque o que é bonito é pra olhar mesmo XD

Marcadores: , ,

that would be me. bye!

about the girl

Pode me chamar de Vy. Balzaquiana com cara de universitária. Turismóloga de formação. Rodinha não só nos pés, mas no coração também. Introvertida. Blogueira old school.

good reads

@ nati n.
@ nicas
@ mari
@ lari
@ fernanda n.
@ paula b.
@ tany
@ maria t.
@ gesiane
@ thais h. [projeto disney]
@ lari p.
@ aline a.
@ chat-feminino
@ viviane
@ lorraine

the past



extras

splash! of colour